Disciplina - Arte

Kill Bill - Plano Sequência

Kill Bill: Vol. 1. Ação, EUA, 2005, 111min. COR. Direção: Quentin Tarantino.

André Bazin, cofundador da lendária revista Cahiers du Cinéma, definia o plano-sequência como a filmagem de uma ação contínua com longo período de duração, no qual a câmera realiza um movimento sequencial, sem ocorrência de cortes e em apenas um take. Ele defendia a ideia de que este recurso dava mais realismo ao cinema, evitando a ruptura da realidade, que acontece normalmente através das montagens de takes em uma película. A partir dessa premissa, vários cineastas passaram a aplicar tal artifício, a fim de conferir um efeito real às cenas, aproximando mais o espectador ao desenvolvimento da narrativa.

Em Kill Bill Vol.1 (Kill Bill Vol.1, 2004) uma câmera “acrobata” filma em uma tomada todo o espaço da Casa das Folhas, bem como a chegada da Noiva (Uma Thurman) ao local até sua ida ao toillete (é virtuoso o momento em que a personagem de Uma entra em um pequeno vestiário e, sem corte, o espaço se ilumina, mostrando A Noiva se trocando).

Palavras-chave: Plano sequência. Cinema. Ação. Técnica.Contínuo.

Duração: 45s.

* Todas as informações contidas nesse vídeo referem-se ao período de sua edição.

  • 610
  • 0
Fechar

Campos com (*) são obrigatórios.

fechar

Copie o código abaixo e insira em sua página:


Ou compartilhe através dos sites:

Fechar

Mais Informações